Associação vai à Justiça contra fechamento do comércio em JF

Setor vê exagero nas ações do poder público, que determinou a volta à onda vermelha do Minas Consciente

A Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora (ACEJF) vai à Justiça contra o município de Juiz de Fora tentando impedir o fechamento do comércio, após a cidade regredir para a onda vermelha do Minas Consciente. A entidade responde imediatamente às medidas mais restritivas anunciadas pela Prefeitura de Juiz de Fora na quinta-feira (3), classificadas como “extremamente prejudiciais ao setor produtivo e de serviços” pela associação do setor comercial.

Segundo comunicado da ACEJF, uma ação civil pública tramitava desde o último mês de julho, pleiteando uma medida liminar para impedir as restrições econômicas vigentes até então. O pedido inicialmente foi negado, mas a entidade recorreu ao Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. Com as novas medidas de contenção à proliferação do coronavírus, a associação garante que tentará reverter a iniciativa do Poder Público. “Entendemos não ser possível que a classe produtiva, já tão prejudicada com medidas de duvidosa eficácia, pague mais uma vez essa conta”, afirma.

Novas restrições

O Comitê Municipal de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 anunciou na quinta-feira que Juiz de Fora retornará à onda vermelha do Minas Consciente, conjunto de medidas restritivas criadas pelo Governo do Estado para conter a pandemia de coronavírus. Com isso, só devem ter o funcionamento autorizado os estabelecimentos classificados como essenciais dentro do programa.

A alteração passa a valer na próxima segunda-feira (7), após decreto a ser publicado provavelmente neste sábado pela Prefeitura de Juiz de Fora.

FONTE: TRIBUNA DE MINAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *