Fluminense derrota o Botafogo, fatura a Taça Rio e garante vantagem na semifinal

Taça Rio é tricolor. Cirúrgico, o Fluminense foi premiado pela eficiência na vitória de 3 a 0 sobre o Botafogo, no Maracanã. Com uma atuação de gala de Júlio César, Pedro, Marcos Junior e Jadson, autores dos gols, fizeram a alegria dos tricolores no domingo. Além de render R$ 850 mil, o título garante à equipe de Abel Braga a vantagem do empate na semifinal do Carioca com o Vasco, quinta-feira, às 21h, no Maracanã. O Botafogo enfrenta o Flamengo, quarta, às 21h45, no mesmo palco.

Com o esquema tático consolidado, o Fluminense apostou na velocidade dos alas Gilberto e Ayrton Lucas na tentativa de minar a defesa alvinegra. A estratégia de Abel Braga se mostrou eficiente. Pela esquerda, Marcinho e Marcelo tiveram dificuldade para conter os avanços de Ayrton Lucas.

Da tabela iniciada com Sornoza, o ala descolou a assistência para Pedro encher o pé cara a cara com Jefferson, que chegou a desviar a bola antes de ela entrar, aos 12 minutos. Foi o sexto gol do atacante, que divide a artilharia do Carioca com Pipico, do Macaé.

O Botafogo acusou o golpe. Atordoado, quase viu o zagueiro Ibañez aumentar. A persistência de Leo Valencia deu início a blitz alvinegra. Foi quando o goleiro tricolor começou a diferença no clássico. Primeiro no venenoso chute de Moisés, na bomba de Valencia e na finalização de Marcos Vinícius, em posição irregular, à queima-roupa.

Na volta do intervalo, Abel Braga corrigiu os espaços dados no primeiro tempo, e com uma atuação cirúrgica começou a se aproximar da Taça Rio. Pedro isolou a chance de aumentar a vantagem logo no início, mas se redimiu com uma bela assistência de peito para Marcos Junior tocar na saída de Jefferson, aumentando a vantagem aos 11 minutos.

Alberto Valentim apostou na entrada de Luis Ricardo, Renatinho e Pimpão, mas o Botafogo não teve força para reagir. Assim como no Fla-Flu, Pablo Dyego entrou bem e infernizou a defesa alvinegra a cada contra-ataque.

O golpe de misericórdia saiu aos 45 minutos. A jogada do gol de Jadson foi iniciada na difícil defesa de Júlio César na finalização de Valencia. Pablo Dyego lançou Jadson, que livre, invadiu a área e tocou na saída de Jefferson para selar a conquista do returno. Se faltou poder de investimento ao Tricolor, sobrou garra e aplicação no título invicto.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 3 X 0 BOTAFOGO

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo

Auxiliares: Thiago Henrique Corrêa Farinha e Carlos Henrique Alves

Cartões amarelo: Richard, Marcos Jr (FLU) Marcelo, Rodrigo Lindoso, Moisés (BOT)

Gols: Pedro, aos 12min do primeiro tempo; Marcos Jr, aos 11min do segundo tempo;

Fluminense: Julio César; Renato Chaves, Gum e Ibañez; Gilberto (Léo) Richard, Jadson, Sornoza (Douglas) e Ayrton; Marcos Júnior (Pablo Dyego) e Pedro / Técnico: Abel Braga

Botafogo: Jefferson; Marcinho (Luis Ricardo), Marcelo Benevenuto, Igor Rabello e Moisés; Marcelo (Rodrigo Pimpão), Rodrigo Lindoso, Marcos Vinicius (Renatinho) e Léo Valência; Luiz Fernando e Brenner / Técnico: Alberto Valentim

Fonte: Jornal O Dia

Israel Malthik

Nasceu em São João Nepomuceno. É Técnico em Administração e Fotografia Artística. Foi fotógrafo da APCEF (Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal), freelancer em jornais como Estado de Minas e Agência Minas. Premiado por diversos clubes e grupos fotográficos. Atualmente é fotojornalista da Rádio Difusora de São João Nepomuceno. Israel Malthik também atua em editoriais de moda em grandes marcas da Zona da Mata Mineira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com