Minas tem primeiros cinco vacinados contra a COVID-19

Governador de Minas, Romeu Zema (Novo), afirmou que imunizante deve chegar a ”praticamente todo o estado” nesta terça (19/1)

Minas Gerais já tem os primeiros funcionários da saúde vacinados contra a COVID-19. Em cerimônia realizada no Aeroporto Internacional de Confins, na Grande BH, o governador Romeu Zema (Novo) se disse “honrado” pela chegada das 577 mil doses da Coronavac, imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac, nesta segunda (18/1). 

Cinco pessoas foram vacinadas na cerimônia no aeroporto. A primeira vacinada foi Maria Bom Sucesso, de 57 anos, técnica de enfermagem. Ela atua no Hospital Eduardo de Menezes, no Barreiro, em BH. 

Também receberam a Coronavac o técnico em enfermagem da mesma unidade Thiago Libério Santana Medina, de 39 anos; a enfermeira do CTI Adileia Pereira de Jesus Cardoso, de 52; o fisioterapeuta Moisés Alves Senra, de 39; e a coordenadora do CTI do mesmo hospital, Teresa Gamarano Barros, 37.

“Meu coração está bastante ansioso. Cheio de expectativa. É a realização de um sonho. Um alívio, acalento para o coração. Depois de tanta angústia, saber que isso vai passar é um presente de Deus”, disse Teresa Gamarano Barros, em rápida conversa com a reportagem, antes de receber a vacina. 

Adriana Vilella Ávila de Castro, que trabalha há 20 anos na saúde, foi a responsável por aplicar a Coronavac. “Minha expectativa é a mesma de quem vai receber. A felicidade é saber que nossos colegas, que estão atuando diretamente com os pacientes, serão prioridade”, afirmou a enfermeira.  

“Dias menos estressantes” 

Sobre a distribuição dos imunizantes, o governador disse que “praticamente todo o estado” já vai ter vacinas à disposição nesta terça (19/1).

“A nossa luta contra o vírus continua, mas estou otimista que esse processo adiante e mais pessoas estejam imunizadas, principalmente aquelas de risco. Teremos dias menos tensos, menos estressantes”, afirmou.

O coronel da Polícia Militar, Flávio Godinho, afirmou que cinco aviões e três helicópteros das forças de segurança do estado vão sair por volta das 4h30 desta terça do aeroporto com destino ao gabinete do governador.

“Vamos distribuir aos 853 municípios com escolta policial. Amanhã (terça), a gente começa as distribuições nas regionais. Serão 30 horas de voo. Pretendemos, na quarta-feira (20), encerrar essa operação”, disse o coronel.  

Chegada 


As vacinas chegaram em Minas por volta das 20h desta segunda (18/1). O Airbus A330neo da Azul Linhas Aéreas, o maior da empresa, veio do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e pousou no Aeroporto Internacional de Confins, na Grande BH.

No total, o estado recebeu 577 mil doses da Coronavac, produzida no Butantan, em São Paulo, segundo números do Ministério da Saúde. Essa quantidade só não é maior que a recebida pelo estado governador por João Doria (PSDB).

O plano nacional prevê vacinação, inicialmente, de três grupos de pessoas: trabalhadores da saúde; população indígena que vive em terras indígenas; e a população institucionalizada (deficientes e idosos).

Em Minas, conforme o Ministério da Saúde, são 38.578 idosos em instituições públicas; 1.160 deficientes nas mesmas casas de apoio; 7.878 índios; e 227.472 servidores da saúde, o que representa 34% da categoria.

Porém, em Belo Horizonte, a prefeitura anunciou nesta segunda que vai priorizar apenas os profissionais de saúde. Isso vale para servidores que atuam em todas as unidades de terapia intensiva, os que trabalham nas enfermarias para COVID-19, os lotados nas UPAs e no Samu e aqueles voltados ao pronto-atendimento dos hospitais.

As doses serão estocadas na Rede Estadual de Frio, no Bairro Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte. De lá, seguem para as 28 unidades regionais de saúde do estado.

Depois, cada prefeitura precisa se deslocar à unidade a qual pertence para retirar os imunizantes. Esse protocolo é idêntico ao que acontece com outras vacinas que fazem parte das campanhas nacionais.

Responsáveis técnicos vão viajar junto com os transportadores para garantir a segurança das vacinas.

FONTE: ESTADO DE MINAS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *